Investimentos

Carteira de investimentos para aposentadoria

07/01/2021

Você sabia que se fizer bons investimentos pode parar de trabalhar mais cedo do que imagina? Isso já é realidade para aqueles que conseguiram realizar investimentos direcionados para a aposentaria ao longo dos anos e, agora, já estão usufruindo de suas economias. Infelizmente, essa ainda não é uma realidade para muitos brasileiros, mas isso pode mudar com bastante disciplina. No mercado existem diversos fundos de previdência privada e opções de aplicações voltadas para a aposentadoria. Porém, como esclarecemos em julho/20 no artigo “A importância de pensar na aposentadoria”, o grande segredo está na diversificação.

O investidor precisa entender que quanto mais tempo o dinheiro ficar aplicado, mais os ganhos com juros irão aumentar, e aumentarão em proporções cada vez maiores se compararmos com algum período anterior. No artigo “O poder dos juros compostos” , também destacamos que os juros compostos são uma das principais ferramentas para a acumulação de patrimônio ao longo do tempo, turbinando a formação de patrimônio de quem junta dinheiro e investe parte do seu capital com frequência.

Se você está na faixa dos 20 anos de idade e pretende se aposentar com 60, tem mais tempo e pode arriscar mais do que alguém com mais idade. Por isso, uma boa opção é investir cerca de 40% em renda variável. Contudo, se você já está na faixa dos 30 anos, é aconselhável não investir mais do que 30% do seu dinheiro em ações. Os que estão mais na faixa de 40 e 50 devem destinar apenas entre 10% e 15% do dinheiro para renda variável. Porém, isso não é uma regra e o investidor ainda precisa levar em conta o Perfil – faça o teste aqui e descubra o seu Perfil de Investidor.

Para quem deseja um portfólio voltado para previdência, a Consulenza possui excelentes opções para os diversos perfis nos relatórios de Asset Allocation. Na recomendação divulgada em dezembro/20 aos clientes da plataforma de investimento, a Consulenza sugeriu que os investidores com perfil conservador aplicassem 77% dos recursos em fundos de renda fixa e o restante em multimercados. Para aplicador balanceado, a proporção é de 66,5% em renda fixa e 33,5% em multimercados. Para os moderados, as fatias ficaram em 52,3% em renda fixa, 34,5% em multimercados e 13,2% em renda variável. Arrojados com 42,4% em renda fixa, 39% em multimercados e 18,6% em ações. Agressivos ficam com 37,3% em fundos de renda fixa, 36% em multimercados e 26,7% em fundos de ações.

Esse tipo de recomendação de alocação não é uma fórmula mágica, mas feito por especialistas que estão no dia-a-dia do mercado e têm bastante embasamento e estudo. Isso ajuda muitos os investidores que estão iniciando a conseguir ter boas referências do mercado, visando tomar as melhores decisões. Portanto, se você está começando no mundo dos investimentos, estude e tome decisões com foco nas suas necessidades futuras. Ninguém melhor do que você para saber quanto você vai precisar para manter o padrão de vida durante a aposentadoria.

Leia também